Mini-implantes de aço inoxidável ou titânio? Uma revisão sistemática

Mini-implantes de aço inoxidável ou titânio? Uma revisão sistemática

Compartilhar

Artigo investiga se existe diferença nas taxas de sucesso quando mini-implantes de aço inoxidável (SS) foram comparados aos mini-implantes de titânio (MIs).

O espaço Ciência Brasil é reservado para a divulgação das pesquisas recentemente publicadas por ortodontistas brasileiros e estrangeiros em periódicos internacionais. Confira uma dessas pesquisas:

Mecenas P, Espinosa DG, Cardoso PC, Normando D. Stainless steel or titanium mini-implants? A systematic review. The Angle Orthodontist In-Press. Angle Orthod 2020;24. DOI: 10.2319/081619-536.1.

RESUMO

Objetivo: investigar se existe diferença nas taxas de sucesso quando mini-implantes de aço inoxidável (SS) foram comparados aos mini-implantes de titânio (MIs) em pacientes ortodônticos.

Material e métodos: PubMed, Cochrane, Scopus, Web of Science, Lilacs, Google Scholar, Clinical Trials e OpenGray foram pesquisados sem restrições. Também foi realizada busca manual nas referências dos artigos incluídos. Estudos comparando a taxa de sucesso entre SS e MIs foram incluídos. O risco de viés (RoB) foi avaliado usando a ferramenta Robins-I (risco de viés em estudos não randomizados de intervenções) ou RoB 2.0, de acordo com o desenho do estudo. O nível de evidência foi avaliado por meio do Grade (Classificação de Recomendação, Avaliação, Desenvolvimento e Análise).

Resultado: seis estudos preencheram os critérios de elegibilidade. Um deles foi um ensaio clínico randomizado (RCT), que avaliou MIs extra-alveolares, enquanto ensaios não randomizados examinaram MIs inter-radiculares. O RCT apresentou baixo ROB, dois ensaios não randomizados apresentaram risco moderado e três apresentaram alto risco. A qualidade da evidência foi alta para o ensaio clínico randomizado e moderada para os ensaios não randomizados. A maioria dos estudos não encontrou diferença entre os materiais, com boas taxas de sucesso para ambos (SS de 74,6% a 100%; titânio de 80,9% a 100%). Apenas um estudo, com alto RoB, mostrou maior taxa de sucesso com MIs (90%) quando comparado com SS (50%). Não ocorreu análise quantitativa devido à grande heterogeneidade entre os estudos.

Conclusão: embora limitadas, as evidências atuais parecem mostrar que o material utilizado não é um fator importante na taxa de sucesso dos mini-implantes. Por ter custo menor que o titânio e apresentar efi1ciência clínica semelhante, a liga de SS é um ótimo material para MIs ortodônticos.

Marcio AlmeidaMarcio Rodrigues de Almeida
Mestre, doutor e pós-doutor em Ortodontia – Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB/USP); Minirresidência em Ortodontia – Universidade de Connecticut, EUA; Professor do curso de mestrado/doutorado em Ortodontia – Unopar, Londrina/PR.
Orcid: 0000-0002-2684-0943.